Família

Em norma, uma família tem como dever fornecer vários tipos de suporte a uma pessoa, seja durante o seu crescimento até à idade adulta, ou mesmo depois disso.

Na fase inicial da vida de uma pessoa, a família acaba por desempenhar um papel fundamental na formaçao do caráter desse mesmo ser. Quando somos crianças, baseamos grande parte dos nossos comportamentos nos dos nossos pais e irmãos mais velhos, e, apesar de cada um possuir as suas individualidades, acabamos sempre por encontrar em nós mesmos algo de idêntico às nossas figuras paternais, seja a forma de falar, o sentido de humor, as opiniões, etc. Basicamente, acabamos de passar de um modelo em branco no dia em que nascemos para uma versão conjunta das personalidades de quem nos cria e educa, com as nossas características únicas, obviamente, o que acaba por tornar cada pessoa única.

Além da pressão de tentar ser um exemplo, a nossa família tem a função de assegurar mais dois tipos de suporte, na minha opinião: o suporte emocional, que consiste em estar sempre presente de forma a esclarecer qualquer dúvida que se possa ter e també a ajuar a lidar com certos problemas que são dificilmente geridos quando sozinhos; o suporte monetário, que inclui todo o tipo de necessidades básicas, às quais qualquer ser humano deve ter direito. Este último tipo de ajuda é mais comum na infância e na adolescência, porém, por vezes, até mesmo na idade adulta os problmas podem aparecer, e, caso haja possibilidades, a família deve estar sempre disposta a ajudar.

Para concluir, eu penso que a família acaba por ser a porta segura de toda a gente, o nosso refúgio, e em geral todos têm essa felicidade, ou deveriam ter.

Aluno do 11º Ano